Month: dezembro 2016

Receita de Panettone da Benvenuta no Jornal Notícias do Dia

Panettone, o sabor do Natal, em uma receita secreta perfumada e macia

Natal sem panettone não é Natal. Descobrimos uma receita secreta. Vamos fazer?

O pão que ficou muito famoso mundialmente por ser consumido no Natal foi criado em Milão. O boulanger William Santos, conta a lenda: ” – um erro de um assistente do padeiro, após ter trabalhado horas a fio na véspera de Natal, fez com que as frutas cristalizadas fossem colocadas no pão e não em uma torta. Para consertar o “erro” o assistente colocou ainda mais ingredientes, como manteiga e ovos. O resultado da massa? O Panetone fofinho, molhadinho e com um sabor de Natal.”

Quer saber como fazer um panettone inspirado na legítima receita italiana? Conseguimos a receita secreta na Benvenuta Pães, onde essas delícias estão à venda

Panettone macio e molhadinho - Maniky Bittencourt/ND
Panettone macio e molhadinho – Moniky Bittencourt/ND

 

Panettone da Boulangerie Benvenuta
1kg de farinha de trigo
350g de frutas cristalizadas
280g uvas passas
180g açúcar branco
40g leite em pó
15g fermento biológico seco
400ml de água gelada
10g essência de panettone (pode ser substituída por essência de laranja ou limão)
6 gemas de ovos
150g de manteiga
10g de sal
1 colher (sopa) de rum

1. O primeiro passo é fazer o que os padeiras chamam de “esponja”: você coloca 200gr de trigo, 200ml de água e 15gr de fermento biológico seco. Misture bem e reserve, até que fique com o aspecto esponjoso.
2. Em um recipiente fundo, reserve as uvas passas e coloque água fervendo e uma colher de rum. Deixe hidratar.
3. Para fazer a massa do pão, é preciso uma bacia funda e grande. Comece colocando a 800g de farinha de trigo, as 6 gemes de ovos e a essência de panettone. Você pode misturar com as mãos, como sovar um pão, ou em uma panificadora que mistura massas. Na mão misture por 5 minutos e na máquina bata por 2 minutos na velocidade 1. Na sequência acrescente a “esponja” e misture bem na velocidade 1 por 10 minutos ou na mão, deixe a massa bem misturada por cerca de 15 minutos.
4. Depois coloque sal e manteiga, misturando por mais 15 minutos na máquina na velocidade 2 ou à mão por cerca de 20 minutos. Acrescente as frutas cristalizadas e deixe misturar por mais 2 minutos na velocidade 1 ou 5 minutos na mão. Até que a massa fique ao ponto de véu.
5. Deixe a massa descansar por até 30 minutos ou mais. Depois que já tiver quase que o dobro do tamanho, corte em 5 porções iguais. Coloque cada um em uma forma e leve ao forno por 45 minutos, em 3 temperaturas. Isso para que a massa não asse apenas por fora, mas dentro também. A técnica é deixar 15 minutos em 180°C, passando para 170°C por mais 15 minutos e o restante em 160°C. Certifique-se que a massa esteja pronta, colocando um medidor, pode ser um palito, uma faca ou outro objeto pontiagudo higienizado.
6. Pronto! Agora é só você esperar esfriar e decorar o seu panettone com frutas frescas, doces e outras delícias a seu sabor.
7. Não esqueça que é um alimento perecível e deve ser consumido logo.

Coleção de Verão da La Madame Co. no Notícias do Dia

O e-commerce de joias e semi joias, um dos maiores do Brasil, a La Madame Co. lançou neste semestre a Coleção de Verão 2017. A jornalista Alessandra Ogeda, da Coluna Panorama do Jornal Notícias do Dia, trouxe um pouco sobre a nova campanha da marca Catarinense, que já conquistou as mulheres de todo o país. Veja:

Revista Deleite-se traz matéria sobre a Cervejaria Catarina

A união de paixões de três amigos que fermentou e originou um espaço singular cheio de aroma e sabor de malte. A Cervejaria Catarina trouxe para o Canto da Lagoa as melhores cervejas artesanais do sul do Brasil!

Leleco, Fred e Fernando juntaram-se para traçar uma nova etapa em suas vidas, unir suas paixões pela cerveja, a amizade e suas experiências profissionais para criar um novo espaço em Florianópolis. A Brew House Cervejaria Catarina possui uma história de estudos e projetos, por dois anos os três amigos se reuniram todas as semanas para experimentar novas cervejas artesanais. Com o passar do tempo, despertaram a ideia e a vontade de criar seu próprio negócio, algo que não fosse apenas para eles, mas um espaço que incentivasse a cultura da cerveja e a produção dos produtos artesanais.

Os três (quase) manezinhos são amigos há anos, Leleco – gestor de negócios e beer sommelier, Fred – gestor comercial e marketing e Ipa lover, e Fernando – engenheiro civil e beer sommelier. Com trajetórias de vida bem diferentes, eles trouxeram uma bagagem bem eclética de vivências profissionais e viagens pelo mundo. Leleco já passou um tempo no Hawaí, Fred na Austrália e Fernando já foi até chef de cozinha na Nova Zelândia. Juntas, todas essas experiências lhes deram suporte e material suficiente para sonharem e idealizarem esse espaço.

Eles vestiram a camisa e firmaram o compromisso com a responsabilidade de realizar um lugar que fosse tudo o que eles esperariam encontrar em um bar como clientes, do lado de lá do balcão. Um ambiente que traz a sofisticação da cerveja artesanal de maneira informal e inovadora, quebrando os padrões de consumo da cerveja comum brasileira, incentivando e fomentando o consumo de cervejas artesanais.

Do projeto à execução. Há 4 meses encontraram o local ideal para tirar as ideias do papel, uma antiga casa de arquitetura açoriana no Canto da Lagoa. Com janelas, portas, piso e teto originais de um antigo engenho de farinha, o local anteriormente era administrado por uma rendeira muito conhecida pela região, a Dona Polônia. Em agosto iniciaram as reformas e foram dando novamente vida à casa que possui muitas histórias incrustadas por todos os cantos.

Em suas andanças tiveram oportunidade de provar diversos sabores de cervejas e de conhecer muitos bares, o que os ajudaram a definir o conceito de balcony’s bar para a Casa. O balcão é o coração da cervejaria, onde tudo acontece, é onde se contam histórias, vivências e momentos, é onde se aprende e se ensina e claro, é onde se encontram as melhores cervejas artesanais on tap.

A cervejaria é dividida em três ambientes: um lounge externo logo na entrada; um ambiente mais intimista com mesas individuais altas no interior da casa; e no pátio coberto, mesas coletivas em um ambiente mais descontraído. Ah! não podemos nos esquecer do balcão, onde os clientes podem se sentar, mesmo que sozinhos, e sair  de lá com novos amigos.

Para deixar os ambientes do jeito que eles queriam, eles mesmos fizeram tudo que envolvia marcenaria e carpintaria, desde a estrutura de madeira da cobertura do pátio até os móveis – balcão, sofás de pallets e mesas de tora de madeira, lindas!! Foram eles inclusive que executaram as paredes de gesso acartonado onde estão os banheiros. Na decoração, eles apostaram nas lembranças trazidas de viagem e arte. Os grafites que dão cor ao espaço são assinados pelos artistas André Pardini e PH, ambos trazem o lúpulo – marca da cervejaria, como elementos de destaque. Na entrada da cervejaria, o destaque está em uma canoa de Garapuvu com 52 anos de história: batizada como Catarina I, a canoa trazido da Costa da Lagoa, que mesmo sem medição prévia encaixou perfeitamente na frente da casa! 

O nome feminino Catarina para a cervejaria possui várias histórias e boas coincidências. Uma delas foi Catarina von Bora, esposa de Martinho Lutero, uma figura importante na história da cerveja artesanal, cervejeira de profissão, tinha fama de produzir uma ótima cerveja.   O domínio feminino na produção cervejeira só diminuiu no final do século XVIII, quando o “negócio” da cerveja multiplicou a presença masculina e grandes empresas surgiram, iniciando-se a produção industrial e diminuindo a artesanal.

Além disso, o nome Catarina vem principalmente com o propósito de incentivar a produção e consumo das cervejas artesanais catarinenses. A Santa Catarina, que é o nome da padroeira do Estado, é uma santa protetora de nome forte, seu dia é celebrado no dia 25 de novembro, dia em que a casa foi inaugurada. Além da proteção a santa motivou os sócios a finalizar a obra e dar o start na realização do sonho. Hoje sua imagem está em destaque no interior da casa e há quem diga que já tem feito seus primeiros atos, protegeu a casa durante a passagem do ciclone na ilha na ultima semana (03.12.2016), nada foi danificado no meio de uma paisagem cheia de destruições.

Com uma carta atual de aproximadamente 47 rótulos de cervejas artesanais – quase todas são catarinenses, apenas um rótulo é do Rio Grande Sul – o balcão refrigerado está sempre abastecido com 10 torneiras de diferentes sabores para todos os gostos. A intensão do trio é de aumentar o número de rótulos assim que novas cervejarias de qualidade forem surgindo e aparecendo. Nas cervejas on tap, os dez sabores são rotativos conforme os fornecedores e consumo, mas o trio garante, são as dez melhores cervejas artesanais do estado, e pelas provas que tivemos, não temos dúvidas! Há desde IPA, RED ALE, BELGIAN BLONG, e muito mais!

Ainda trabalhando com limitações, a intenção da cozinha é de que os pratos, e aperitivos sejam todos produzidos com produtos de fornecedores locais. Enquanto ela não fica pronta, podemos ir adiantando alguns dos deleites que poderão ser encontrados por lá.  Terão pastéis de camarão, siri e queijo, ostra gratinada, tábuas de frios, camarão à milanesa, batata rústica, aipim e fritas, bolinhos e mini pizzas com massa artesanal. Perfeito pra acompanhar uma boa cerveja não é?!

Em nossa ida, nós experimentamos só coisa boa. A deliciosa APA SAN DIEGO da Cervejaria Barco, a INDIAN RED e a AMERICAN BROWN ALE, ambas da Roleta Russa, além da PILSEN da Imigração, DOUBLE IPA da Unika e IMPERIAL STOUT da Schornstein. E não saímos de lá até experimentar a preferida do trio: a CAPIVARA LITTLE IPA, da cervejaria Blumenau. Os sabores diversos foram acompanhados com amendoim de casca e mini pizza de diversos sabores.

São tantos sabores, texturas e cores, que é difícil indicar uma única! A cervejaria Catarina além de aconchegante é descontraída e com certeza você não vai conseguir sair de lá sem experimentar várias! APA SAN DIEGO e CAPIVARA LITLE IPA foram nossas prediletas. Sirva-se de comidas de boteco e aprecie mais e mais as cervejas artesanais catarinenses!

Evento de apresentação da Vinícola Thera na Coluna Whats Up online

Vinícola catarinense Thera lança rótulos e revela seu projeto inovador na Serra em festa no Cacupé

Por: Laura Coutinho

No deslumbrante final de tarde de segunda, João Paulo Freitas recebeu na casa da família, no Cacupé, em Florianópolis, um grupo de convidados para degustação e apresentação do projeto da vinícola Thera. Localizada na Fazenda Bom Retiro na cidade serrana de mesmo nome, a vinícola já conta com vinhedos há 16 anos – foram os primeiros plantados por Dilor Freitas, o patriarca falecido em 2004 e que também deixou outra herança para o Estado, a Villa Francioni, em São Joaquim.

Ao lado do filho Abner, da esposa Linda, e da mãe, Therezinha, cujo apelido batiza a vinícola, João Paulo apresentou aos convidados o impressionante projeto arquitetônico da Thera, comandado por ninguém menos do que o arquiteto italiano Marco Casamonti, autor da vinícola Antinori, uma das mais visitadas da Toscana. Inovador e valorizando os materiais do entorno, o espaço deve abrigar espaço receptivo com loja, além de hotel, condomínio de casas, spa, anfiteatro e haras, entre outros equipamentos. Em fevereiro, o primeiro deles, um wine bar, abre ao público. Planejamento a longo prazo e aspiração em deixar um legado para Santa Catarina definem o projeto elaborado com a mesma paixão herdada do visionário Dilor.

Para harmonizar com os rótulos de rosé e o sauvignon blanc lançados na segunda, a equipe da Flor de Sal Gastronomia apostou no ceviche de ostra, gaspacho de camarão e na tarte de tomates entre outras delícias. Cassio Moura e trio deram o tom da festa, regada à jazz, pôr do sol e muitos brindes.

Confira os registros de Paulinho Sefton:

Abner, João Paulo e Linda Freitas Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Angela Zilli Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Adriana Althoff Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Leandro Adegas Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Syomara Barbosa, Carol Lobato e Jamil Nicolau  Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Maria Paula Canziani  Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Therezinha Freitas  Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Duda Cardoso e Abner Freitas  Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Linda Freitas e Lica Paludo  Foto: Paulinho Sefton / divulgação

João Lombardo  Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Aline Goulart e Mô Bittencourt  Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Kadu Almeida e Angela Zilli  Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Emerson Kim e Inga Ezergale Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Maria Helena Moreira  Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Carol Lobato e Monica Corrêa Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Foto: Paulinho Sefton / divulgação

Luciane Daux traz vinhos da Thera como destaque deste verão

Rótulos da Vinícola Thera estreiam e já despontam como musts deste verão

Os vinhos são produzidos em Bom Retiro, resultado de um grande investimento do empresário João Paulo de Freitas

O empresário João Paulo de Freitas convida para o lançamento dos primeiros rótulos da Vinícola Thera, em evento exclusivo na próxima segunda-feira. O respeito às características únicas da terra e do clima das altas encostas da Serra Catarinense são evidentes, e valorizam o terroir de Bom Retiro, onde são produzidos. O nome da vinícola homenageia Therezinha Borges de Freitas, mãe do empresário. Conheça um pouco dessa história em http://vinicolathera.com.br/

Thera presente na abertura do verão no La Serena
Com a apresentação da Vinícola Thera, no dia 26 de dezembro o La Serena Cuisine&Lounge dará inicio, oficialmente, à temporada de verão em um dia regado a música, na paisagem paradisíaca da beira do mar de Jurerê Internacional. A chef da casa, Viviane Chies, preparou um cardápio exclusivo e perfeitamente harmonizado com os vinhos produzidos em Bom Retiro. Um evento familiar que contará com recreacionistas para as crianças e, a partir das 16h, sunset com o DJ Abner Zeus.